O câncer é uma doença muito difícil de controlar e muitas vezes requer várias formas de tratamento. Semelhante ao tratamento do câncer nas pessoas, a cirurgia, radioterapia e quimioterapia são usadas unicamente ou em combinação com outros tratamentos para o controle do câncer em animais de estimação. A quimioterapia é freqüentemente utilizada para tratar o câncer quando este é maligno e possui a chance de se espalhar para outras partes do corpo (metástases) ou mesmo quando já se espalhou. A quimioterapia também é usada para tratar formas em que o câncer não pode ser tratado com cirurgia ou radioterapia, ou quando houver a possibilidade de aumentar a eficácia destes tratamentos.

Qual é o objetivo da quimioterapia?

O objetivo da quimioterapia é de tentar controlar ou até mesmo eliminar o câncer, podendo ajudar a melhorar a qualidade e expectativa de vida de seu animal de estimação. Os quimioterápicos às vezes não curam o câncer, mas conseguem controlá-lo de certa forma, matando as células e retardando a progressão da doença.

O que é quimioterapia?

A quimioterapia é o tratamento medicamentoso destinado a matar ou retardar o crescimento do câncer. Muitas das drogas utilizadas são derivadas de substâncias naturais, como plantas, ou até mesmo derivadas de bactérias, sendo muitas vezes as mesmas drogas utilizadas em pessoas.

Como a quimioterapia é administrada?

Existem várias formas de apresentação dos quimioterápicos utilizados na oncologia veterinária. Algumas drogas devem ser administradas por via intravenosa (IV), outras podem ser administradas em baixo da pele ou no músculo, ou também por via oral. Em alguns casos, o medicamento pode ser injetado diretamente dentro do tumor.
–  Drogas Intravenosas

Em drogas como a vincristina ou doxorrubicina, deve ser colocado um cateter intravenoso para uma administração segura do medicamento. Após a administração, o cateter é removido e uma bandagem é colocada. O “band-aid” pode ser removido em uma ou duas horas após a administração da droga. Se o seu pet lamber o local da injeção por mais de um dia ou se o local ficar vermelho pode ser um sinal de que parte da droga foi para fora da veia. Entre em contato com o veterinário imediatamente, uma vez que essa situação pode ser grave.

– Medicamentos orais

Os medicamentos orais são administrados por você mesmo, em casa. É importante que seu animal receba todos os medicamentos prescritos e que as pílulas não sejam esmagadas, arrebentadas ou que as cápsulas se abram. Às vezes pode ser útil revestir os comprimidos com manteiga, manteiga de amendoim, requeijão ou queijo cremoso para disfarçar o gosto amargo do remédio. Se você estiver administrando um quimioterápico oral, será necessário o uso de luvas de procedimento quando for lidar com essas pílulas. Quando terminar de fornecer as pílulas deve-se lavar bem as mãos.

– Como devo lidar com fluidos corpóreos enquanto meu animal de estimação está na quimioterapia?

Não manusear as fezes, urina ou vômito, a menos que absolutamente necessário dentro de 24 horas da administração de quimioterapia. Se acontecer um “acidente”, use luvas e limpe a área com itens descartáveis ​​(papel toalha, fraldas, etc.) e descartar no lixo. Lave bem as mãos quando terminar a limpeza. Em geral, recomenda-se que a roupa de cama, que é suja por fezes, urina ou vômito dentro de 24 horas de administração de quimioterapia, deve ser lavada duas vezes em água quente.

–  Quantas vezes a quimioterapia é dada?

Isso dependerá do protocolo escolhido pelo médico veterinário em conjunto com a família e do tipo do câncer de seu animal de estimação. Algumas drogas podem ser dadas diariamente, semanalmente e outras apenas a cada 2-3 semanas.

– O que é um protocolo de quimioterapia?

Refere-se a um conjunto de drogas dadas em um período de tempo específico. Isso pode incorporar uma ou múltiplas drogas. 

– O que acontece quando a quimioterapia já não controla o câncer?

O câncer pode ser inicialmente muito sensível as drogas quimioterápicas. Infelizmente, pode retornar em semanas, meses ou anos depois. Nesses casos, as células cancerígenas se tornaram resistentes às drogas, assim como as bactérias ficam resistentes aos antibióticos. Quando há resistência a uma droga, muitas vezes podemos usar outras. No entanto, cada vez que se desenvolve uma resistência ao medicamento, torna-se mais difícil de encontrar uma droga que responda ao câncer. O veterinário do seu animal irá discutir com você as formas de manter seu animal de estimação confortável para o resto de sua vida.

– Meu animal de estimação pode receber vacinas, enquanto em quimioterapia?

Pesquisas recentes indicam que é seguro vacinar o seu animal enquanto ele está em quimioterapia, porém a resposta à vacina pode não ser ideal. Recomendamos esperar dois meses após a quimioterapia para retomar um calendário de vacinação.

– Que tipo de efeitos adversos meu animal de estimação pode vir a apresentar?

A melhor qualidade de vida para seu animal de estimação é o nosso objetivo, mas para ser eficaz no controle de uma doença devastadora como o câncer, as drogas da quimioterapia são muito poderosas. Felizmente, animais não têm efeitos adversos como muitos seres humanos que passam por quimioterapia. Perda de cabelo (alopecia) é comum em humanos, mas rara em cães. Isso ocorre, principalmente, com raças que têm um constante crescimento do pêlo (poodle, shitzu, cocker spaniel, etc.). Gatos geralmente não perdem pêlos do corpo, mas muitas vezes perdem os seus bigodes. Quimioterapia pode retardar o crescimento de pêlo em áreas que foi retirado, em todos os animais submetidos à quimioterapia. Outros efeitos colaterais incluem náuseas, vômitos e diarréia. A maior parte deles são facilmente controlados com medicamentos e também com mudança de dieta por apenas alguns dias.

Um efeito colateral comum na quimioterapia é uma diminuição na contagem de glóbulos brancos. Isso poderia tornar o animal mais suscetível a infecções quando a diminuição é grave. O ideal é verificar o número de células sanguíneas antes de cada tratamento quimioterápico para assegurar que a contagem de células brancas do sangue não é perigosamente baixa. Embora os efeitos colaterais descritos acima são os mais comuns, eles ocorrem em menos de 30% dos animais de estimação em tratamento com  quimioterapia.

Drogas Quimioterápicas Comumente Utilizadas:

– Doxorrubicina – Administrada IV a cada 2-3 semanas; os efeitos colaterais incluem aqueles listados acima e danos potenciais ao músculo cardíaco. Recomendamos realizar um exame da função cardíaca (ecocardiograma) em alguns cães antes de iniciar com essa droga. A dose utilizada é inferior a dosagem que causa danos ao coração e menos de 10% de todos os animais de estimação desenvolvem problemas cardíacos com esta droga.

– Carboplatina – Administrada IV a cada 3-4 semanas; os efeitos colaterais podem incluir os listados acima, mas esta droga causa maiores efeitos colaterais em estômago e intestino.

– Cisplatina – Administrada IV a cada 3 semanas;  os efeitos adversos incluem os listados acima, mas o mais importante é que esta droga pode causar danos nos rins. Para evitar ou minimizar os danos, um exame de sangue antes da administração da droga poderá alertar o médico veterinário se os rins não estão funcionando adequadamente. Se os rins têm valores de funcionamento normais, o animal vai receber fluido (IV) algumas horas antes e depois da administração da cisplatina.

– Asparaginase – Administrada como uma injeção diretamente no músculo ou sob a pele. O efeito colateral inclui uma reação alérgica aguda. Após a administração desta droga, você ou uma pessoa da equipe do hospital irá observar o animal por 15-20 minutos para observar a presença de coceira na pele ou vermelhidão, urticária, dificuldade respiratória ou colapso. Se você perceber algum desses sinais após 15-20 minutos, entre em contato com um médico ou enfermeiro no Serviço de Oncologia.

– Mitoxantrona – Administrado IV a cada 3 semanas; efeitos secundários incluem os listados acima.

– Vincristina – Administrado IV a cada 1-3 semanas; efeitos secundários incluem os listados acima.

– Vimblastina – Administrado IV a cada 1-3 semanas; efeitos secundários incluem os listados acima.

– Ciclofosfamida – Administrada por via oral diariamente por 3-5 dias ou IV a cada 3 semanas; efeitos colaterais incluem grande diminuição de glóbulos brancos e irritação da bexiga. Se você observar que seu animal de estimação faz muita força para urinar ou sangue na urina pare de administrar a droga.

– Clorambucila – Administrada por via oral diariamente ou a cada 3 semanas; os efeitos colaterais incluem diminuição de células brancas do sangue.

– Lomustina – Administrada por via oral a cada 2-3 semanas; os efeitos colaterais incluem a diminuição de glóbulos brancos e danos ao fígado – exames de sangue podem verificar se há problemas no fígado antes de cada dose.

– Esteróides – (prednisona, prednisolona) – Administrados por via oral em dias alternados. Os efeitos colaterais incluem aumento do apetite, aumento do consumo de água, aumento da micção, respiração ofegante e raramente alterações de comportamento. Os gatos têm menor incidência desses efeitos colaterais.

– Piroxicam – Administrado por via oral diariamente. Este medicamento pode causar úlceras no estômago ou intestino. Avise o veterinário do seu animal se você observar perda de apetite, vômitos ou fezes escuras, já que pode ser um sinal de existência de úlcera.

– Melfalano – Administrado por via oral diariamente ou a cada três semanas; o efeito colateral mais comum é a diminuição de glóbulos brancos.

Fonte:

http://www.csuanimalcancercenter.org/chemotherapy