Quando é hora de dizer adeus: A Eutanásia e o seu animal de estimação

  Uma das decisões mais difíceis para pessoas que dividem suas vidas com animais de estimação é de autorizar a eutanásia de seu fiel companheiro. Neste momento difícil, a preocupação em relação à qualidade e a dignidade de vida de seu animal de estimação se tornam realmente cruciais. Por estas razões, você deve agir em conjunto com o seu veterinário. É de extrema importância neste momento que as suas preocupações e seus desejos sejam honrados e que seja fornecido a você de uma forma clara uma completa e acurada informação sobre o que está acontecendo, o que é digno e humano para seu animal de estimação, para que você possa realizar as suas decisões de uma forma consciente. É de fundamental importância que você saiba que dentro de suas opções incluem-se em casa hospice care *, a qual objetiva aliviar o sofrimento e a dor de seu animal de estimação até que uma morte natural ocorra.

 O que é eutanásia?

O termo eutanásia vem do grego onde eu quer dizer boa e thanatos – morte. Eutanásia e um procedimento médico que é oferecido à pacientes com doenças terminais e em casos de sofrimentos extremos. A eutanásia é realizada através da administração intravenosa de drogas anestésicas (anestesia geral) associadas a uma droga que causa uma parada cardíaca e respiratória permanente permitindo uma morte sem sofrimento. Cada clínica veterinária realiza a eutanásia de maneiras diferentes, mas muito similares umas às outras. É muito importante que você saiba que é você quem irá realizar esta decisão definitiva. Você tem o controle da decisão e também a forma de como agir e escolher as opções neste passo final do cuidado com seu amado animal de estimação.

Quando irei saber a hora certa?

                Na verdade a “hora certa” de se realizar uma eutanásia é uma decisão extremamente pessoal. Não existe uma decisão correta. Existe sim, entretanto, uma decisão que irá ser correta para você. Existem muitos fatores que pesam neste momento difícil. Alguns deles é a qualidade de vida de seu animal, os custos para continuar o tratamento, o tempo que você terá que se dedicar no tratamento da doença, e o modo de vida que você quer para seu animal de estimação. Julgar a qualidade de vida é uma forma subjetiva, mas pode ser julgada em partes avaliando certos fatores tais como: apetite, níveis de atividade e energia, e prestar atenção em rituais diários do seu animal de estimação, como se ele está dormindo no local favorito. Isto ajuda muito a você manter em casa, como se fosse um “diário” de seu animal de estimação, observando o estilo de vida que ele leva. Então você poderá se perguntar:

  • Os dias em que ele está bem excedem o número de dias que ele está ruim?
  • Meu animal de estimação consegue fazer as coisas que no passado faziam ele feliz?
  • O que tem de diferença nos dias de hoje comparados com antes de ele estar doente?

A decisão de realizar uma eutanásia pode afetar profundamente sua memória e ações por até meses. Durante este tempo de reflexão e decisão, é importante  saber que seu veterinário pode ser uma peça fundamental no suporte para você e qualquer familiar ou amigo envolvido.

O primeiro passo para se tornar mais confortável com a decisão da eutanásia é saber que você poderá “personalizar” este tempo para encontrar suas necessidades, ou de seus familiares ou o mais importante, a do seu animal de estimação. Isto é melhor determinado quando se tem um plano de ação. Antes da decisão da eutanásia, você poderá considerar:

  • Se você e seu animal de estimação se sentirem bem, talvez você queira gastar um pouco de tempo fazendo algumas das atividades que significavam algo para você e para seu animal de estimação durante a vida dele. Isto pode ser algo tão simples como permitir que seu cão tome sol em seu lugar preferido ou que ele sente no seu colo enquanto você lê algo.
  • É importante que as crianças não sejam deixadas de lado, nestes momentos de difíceis e importantes decisões. Muitos estudos mostram que excluir as crianças inventando histórias (ex: o Bob fugiu) pode tornar-se mais destrutivo. É muito iportante que os pais saibam lidar com a compreensão dos conceitos de morte e eutanásia em diferentes idades.
  • Talvez você queira tirar algumas fotos, guardar um pouco do pêlo, ou mesmo tentar gravar sua pegada em papel ou em argila, como últimas memórias.
  • Talvez você se sinta mais confortável em discutir sobre a destinação do corpo (cremação, enterro) antes da eutanásia.

 

O sofrimento é uma manifestação de perda, independente se o que perdemos era um ente querido ou um fiel animal de estimação. Existem muitas maneiras de você lidar com o processo de sofrimento. Você deve estar atento que a perda de um animal de estimação, é como a perda de um ente querido, onde pode causar mudanças físicas e emocionais que podem durar durante semanas ou meses. Infelizmente no Brasil não temos grupos de apoio a perda de um animal de estimação como existem em outros países, mas o auxílio psicológico muitas vezes é recomendado para haver uma melhor adaptação ao processo de perda de um animal de estimação.

*hospice care: tratamento de  compaixão